sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Teorema ,teoria e Lei

Teorema foi um termo utilizado por Euclides , em sua série de livros intitulada de “Os Elementos” .Palavra de origem grega que significa originalmente “espetáculo” ou “festa” .Nos dias de hoje o termo é definido pelo mini dicionario Aurélio como: proposição que, para ser administrada ou se torna evidente, necessita de demonstração.Na matemática , são processos que podem ser provados.Provar teoremas é a principal atividade dos matemáticos.Veja alguns exemplos:

Último teorema de Fermat.

Teorema de Tales

Teorema de Pitágoras

É importante notar que "teorema" é diferente de "teoria".

Teoria, do grego θεωρία , é o conhecimento descritivo que permite especulações, contudo puramente racional. O substantivo theoría significa ação de contemplar, olhar, examinar, especular. Também pode ser entendido como forma de pensar e entender algum fenômeno a partir da observação. Na Grécia antiga teoria significava "festa solene, procissão ou embaixada que as cidades helênicas enviavam para representá-las nos jogos olímpicos ou para consultar os oráculos".

O termo é aplicado a diversas áreas do conhecimento, sendo que em cada área possui uma definição específica.

Em ciência, a definição de teoria científica difere bastante da acepção de teoria em senso comum, o de simples especulação; o conceito moderno de teoria científica estabelece-se, entre outros, como uma tentativa de resposta ao problema da demarcação entre o que é efetivamente científico e o que não o é.

Lei, no sentido cientifico, é uma regra que descreve um fenômeno que ocorre com regularidade. É uma hipótese geralmente simples mas de abrangência geral, que, sendo exaustivamente confrontada, testada e validada frente a um amplo e diverso conjunto de fatos, dá-lhes sempre sentido cronológico, lógico e causal, e por tal recebe um título "honorífico" que a destaca entre as demais, o título de lei [1].

Ao contrário da lei no sentido jurídico, a qual tem em princípio o poder de fazer-se cumprir, a lei científica não tem o poder de impor que um fato ou fenômeno qualquer deva sempre com ela concordar. A lei científica, ao contrário, deriva sua validade e acuracidade da observação sistemática da ocorrência sempre regular e persistente de um dado fenômeno de abrangência geral, estabelecendo uma relação de causa e efeito associada ao mesmo e afirmando que é muito razoável e provável que todos os demais eventos correlatos venham a concordar com os resultados anteriores e assim com a premissa que encerra, destes derivada.

Como exemplos de leis científicas podem ser citadas a lei da oferta e da procura e as leis de Newton.

Um comentário: